É ISTO UM HOMEM? DE PRIMO LEVI: A HISTÓRIA E A MEMÓRIA ENTRE RUÍNAS E REDENÇÃO / IS THIS A MAN? BY PRIMO LEVI: THE HISTORY AND THE MEMORY BETWEEN RUINS AND REDEMPTION

Autores

  • Rosane Marins de Menezes (UERJ) UERJ

DOI:

https://doi.org/10.5935/1984-6614.20210003

Palavras-chave:

História. Memória. Redenção. Ruínas. Shoah. Walter Benjamin.

Resumo

É isto um homem? de Primo Levi constitui-se em uma narrativa testemunhal na qual história e memória são elementos fundamentais desencadeadores do enredo, fazendo-o ultrapassar o estatuto de mero relato autobiográfico e compor uma memória coletiva. Configurando-se como “ruínas” (AGAMBEN, 2008, p. 162), segundo Giorgio Agamben, que associa a ruína ao resto, às lacunas históricas existentes sobre a Shoah, o testemunho de Levi traz para o presente vestígios de um tempo de violência que deve ser revisitado, conhecido e reinterpretado. Trabalhando sua escritura no limiar da linguagem e equilibrando-se entre esquecimentos e lembranças, Levi cumpre o projeto de redenção de Walter Benjamin dando voz aos vencidos da história e apontando para a renovação de uma conduta ética no presente.

Biografia do Autor

Rosane Marins de Menezes (UERJ), UERJ

Mestranda em Estudos Literários (UERJ), Especialista em Língua Portuguesa (UERJ), Professora de Língua Portuguesa e Literaturas da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro - SEEDUC/RJ.

Referências

AGAMBEN, G. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Tradução de Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

BARENGUI. M. A memória da ofensa: recordar, narrar, compreender. Novos estudos – CEBRAP, n. 73, São Paulo, nov. 2005, p. 181.

CANDAU, J. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2019.

FERREIRA, A. Casa da linguagem: identidades arruinadas e a literatura judaico-brasileira no século XXI. Tese (Doutorado em Estudos Literários). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2017.

GAGNEBIN, J. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: 34, 2009.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2003.

LE GOFF, J. História e memória. Tradução de Bernardo Leitão et al. São Paulo: Unicamp, 1996.

LEVI, F.; SCARPA, D. (Org.). Assim foi Auschwitz: testemunhos 1945-1986 – Primo Levi com Leonardo De Benedetti. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LEVI, P. A trégua. São Paulo: Planeta de Agostinho, 2004.

_____. Conversazioni e interviste. Torino: Einaudi, 1997.

_____. É isto um homem? Tradução de Luigi Del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

_____. Os afogados e os sobreviventes. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

LOWY, M. Walter Benjamin: aviso de incêndio – uma leitura das teses Sobre o conceito de história. Tradução de Wanda Nogueira Caldeira Brant, Jeanne Marie Gagnebin e Marcos Lutz Muller. São Paulo: Boitempo, 2005.

MATE, R. Meia-noite na história: comentários às teses de Walter Benjamin Sobre o conceito de história. Tradução de Nélio Schneider. São Leopoldo: Unisinos, 2011.

OLIVEIRA, L. Primo Levi e os rumores da memória: limites e desafios na construção do testemunho. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SELIGMANN-SILVA, M. (Org.). História, memória e literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Unicamp, 2003.

VILELA, Y. F. Ler, traduzir, escrever: um percurso pela obra de Pascal Quignard. Tese (Doutorado em Estudos Literários). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

Downloads

Publicado

2021-07-04

Edição

Seção

Filosofia, Política e Literatura