DIFERENÇAS E APROXIMAÇÕES ENTRE O DIÁRIO E A AUTOBIOGRAFIA EM ANNIE ERNAUX

Autores

  • Andrea de Castro Martins Bahiense Universidade Federal Fluminense

Resumo

Dez anos depois da publicação de Une femme (1987) - narrativa autobiográfica em que a escritora francesa Annie Ernaux (1940-) parte da morte da mãe para contar não só a história dessa mulher (uma mulher, como tantas outras), mas também a sua própria -, a autora publica “Je ne suis pas sortie de ma nuit” (1997), parte do diário íntimo que manteve durante os últimos anos de vida de sua mãe. O objetivo deste trabalho é: comparar essas duas formas de escrita autobiográfica, que, apesar de apresentarem construções bastante diferentes, abordam o mesmo tema, contam a mesma história; e mostrar como a publicação do diário vem, enfim, desestabilizar a verdade de uma narrativa já conhecida do público.

 

DOI: 10.5935/1984-6614.20170018

Biografia do Autor

Andrea de Castro Martins Bahiense, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda da pós-graduação em Letras da UFF, na área de literaturas francófonas

Referências

BARTHES, R. Deliberação. In: _____. O rumor da língua. Tradução de Mario Laranjeira. São Paulo: Brasiliense, 1988, p. 359-372.

BLANCHOT, M. O diário íntimo e a narrativa. In: _____. O livro por vir. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005, p. 270-282.

CAMUS, A. L’étranger. Paris: Gallimard, 1942.

ERNAUX, A. L’écriture comme un couteau: Entretien avec Frédéric-Yves Jeannet. Paris: Folio, 2003.

_____. Écrire la vie. Paris: Gallimard, 2011. (Coleção Quarto).

LEJEUNE, P. ; ERNAUX, A. Un singulier journal au féminin. In: THUMEREL, F. (Org.). Annie Ernaux, une oeuvre de l’entre-deux. Arras: Artois Presse Université, 2004, p. 253-258.

LEJEUNE, P. Um diário todo seu. In: _____. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Tradução de Jovita Maria Gerheim Noronha. Belo Horizonte: UFMG, 2008, p. 257-267.

VIART, D. L'archéologie de soi dans la littérature française contemporaine: Récits de filiation et fictions biographiques. In: DION, R.; FORTIER, F.; HAVERCROFT, B.; LÛSEBRINK, H. J. (Org.). Vies en récit: formes littéraires et médiatiques de la biographie et de l'autobiographie. Québec: Nota Bene, 2007, p. 107-137.

THUMEREL, F.; ERNAUX, A. Ambivalence et ambigüité du journal intime. In : THUMEREL, F. (Org.). Annie Ernaux, une oeuvre de l’entre-deux. Arras: Artois Presse Université, 2004, p. 245-251.

Downloads

Publicado

2017-12-11

Edição

Seção

Tempo e memória